Skip to content Skip to sidebar Skip to footer

Como e quando tomar bebidas isotónicas?

Estarmos bem hidratados é fundamental, especialmente se fizermos exercício com muita intensidade. Além da água, muitas pessoas recorrem às bebidas isotónicas desportivas convencionais para recuperar depois do treino. E, geralmente, as mais procuradas contêm muitos açúcares e sais adicionados, o que não os torna tão saudáveis como pensamos.

Que são as bebidas isotónicas (comerciais)?

São bebidas que favorecem a absorção da água e que devem ter a mesma concentração de compostos em solução que o nosso sangue. A composição das bebidas isotónicas deve ter: água, hidratos de carbono de absorção rápida e electrolitos (sais minerais).

É muito importante ler a composição das etiquetas porque nem todas as “bebidas para desportistas” são isotónicas. Se tiramos as características específicas que fazem com que a bebida seja equivalente em composição ao nosso sangue, afinal não temos uma isotónica, temos um refrigerante.

Dora a beber Artio depois de um treino intenso

Que bebida isotónica é boa nutricionalmente falando?

A ARTIO. Eu sou embaixadora da primeira marca de isotónicas sem açúcares adicionados, e reparem na informação nutricional da bebida:

Agua, água de mar (10%), sumo de limão (5%) a partir de concentrado, aroma natural de limão. Antioxidante: Vitamina C. Conservadores: sorbato potássico e benzoato sódico. Edulcorante: Glucósidos de esteviol (procedem da planta stevia). Sem açúcares adicionados.

Qual é a diferença entre as comerciais e a ARTIO?

Segundo um dos criadores da bebida, Antón Ruanova “Uma isotónica comercial tem só 3, 4 ou 5 minerais diferentes, são sintéticos e ficam desiquilibrados (os minerais actuam uns com os outros). Por exemplo, o cálcio com o magnésio… Então se uma bebida só tem cloruro sódico, potássio e magnésio, por ex, esses minerais são sintéticos e difíceis de assimilar e ficam desiquilibrados.

Mas mesmo assim, se uma pessoa consumir Artio e tiver todos os minerais num nível óptimo, não teria problema por isso, uma vez que excretaria esse excesso de oligoelementos sem esforço por serem orgânicos”.

Quando as podemos tomar?

De vez em quando, como todos os alimentos do mundo, já que contêm uma percentagem de certos minerais que podem ser perjudiciais para os nossos rins ou coração. De qualquer forma, a ARTIO, ao não ser considerada uma “bebida convencional” poderia ser consumida com mais regularidade que uma convencional.

Em que medida se podem consumir?

Recomenda-se a todos aqueles que fazem treinos prolongados (de mais de uma hora) e de alta intensidade ou de treinos com uma situação climatológica extrema e desfavorável.

No entanto, como disse, a ARTIO não é considerada uma “bebida comercial” com açúcares e outros ingredientes desnecessários adicionados, por isso, é considerada uma bebida que devemos ter em conta na nossa rotina desportiva.

A quantidade depende das características pessoais, do exercício e do tempo, mas habitualmente ronda os 500-1000ml. Além disso deves tomá-las em pequenos goles de água (a temperatura ambiente).

Bebidas energizantes o hipertónicas?

É muito importante diferenciar as bebidas isotónicas das bebidas energizantes ou estimulantes, que contêm algum elemento excitante do sistema nervioso, habitualmente cafeína, açúcares, vitaminas e cuja finalidade é aumentar o nível de atenção ou lutra contra o cansaço ou sono.

Estes produtos energéticos costumam ter uma composição de elementos bastante concentrada, ou seja, na mesma quantidade de água, maior proporção de açúcar, e por isso não poderão ser denominadas isotónicas, mas sim hipertónicas.

A ARTIO, além de ser um produto totalmente natural, não tem açúcares adicionados, o que fez com que me apaixonasse assim que conheci a marca. Podes comprá-la aqui com desconto especial.

Deixa aqui o teu comentário

error: O conteúdo está protegido.
Dora Matos - Health Coach