Skip to content Skip to sidebar Skip to footer

É necessário adequar a alimentação ao frio?

Nos dias frios devemos mudar a nossa alimentação. Estamos habituados a é comer muito nas refeições principais mas vamos ver porque isso é um erro. É necessário adequar a alimentação ao frio e vamos ver porquê.

Como comem nos países nórdicos? Já pensaste nisso? Por alguma razão é. Lá faz muito mais frio, a alimentação não é como a nossa (nem como a latina, em geral). Eles comem muito menos, mais vezes, coisa que em Portugal não é tão habitual, culturalmente.

Comer muito nas refeições principais? Não.

Esta não é a melhor solução. Nos países nórdicos eles comem mais vezes durante o dia: fazem mais snacks de manhã e à tarde. Para nos podermos adaptar às temperaturas mais baixas devmos comer várias vezes durante o dia para manter o nosso ritmo e a nossa energia.

A alimentação tem um papel crucial no reforço do sistema imunitário e deve ser muito diversificada: muitos alimentos hortícolas (cozinhados e crus), além de frutas, cereais integrais, sementes, leguminosas, peixe, gorduras vegetais e iogurte ou leite fermentado. Aqui tens alguns exemplos de receitas que os incluem.

Se não fizermos isto será mais provável sentirmo-nos mais cansados. A energia baixa e a sensação de cansaço é imediata, até mesmo ao levantar da cama.

Se pensarmos num pequeno-almoço típico português: é um pão branco com manteiga e leite com café. Isto não é suficientemente nutritivo. Só nos dá energia para os primeiros tempos e não para uma boa parte da manhã.

Além disso, o pão branco não é uma boa opção num pequeno-almoço porque não tem fibra, que é o que vai ajudar a saciar durante mais tempo.

As vitaminas e os minerais essenciais a ingerir:

O sistema imunitário pode ser reforçado através da ingestão de vitaminas e minerais quer através dos alimentos quer através de suplementos alimentares:

– Vitamina C

Não é um mito. Devemos reforçar a toma da vitamina C durante as estações mais frias, já que esta vitamina tem um papel essencial na função imunitária. Exemplos de alimentos que a contêm: laranja, limão, morangos, melão, tomate, salsa, brócolos e espinafres.

– Vitamina D

Previne de gripes e constipações. Exemplos de alimentos que a contêm: laticínios, sardinhas, arenque, salmão e fígado.

– Zinco

Ajuda muito a reduzir a duração e severidade dos sintomas de constipação. Exemplos de alimentos que a contêm: peixe, marisco, gema de ovo, cogumelos, beterraba, alface, couve, laranjas e alperces.

Conclusão:

Nos dias mais frios precisamos de ainda mais energia (e não queremos ter nenhuma quebra de energia), correcto? Devemos optar por alimentos com boas gorduras, ricos em fibra e com muita proteína.

Um exemplo de pequeno-almoço: ovos mexidos com uma fatia de pão de centeio, uma peça de fruta e um café com leite ou bebida vegetal. Além disso, devemos optar também pelos frutos secos. Vê aqui opções saudáveis de pequenos-almoços.

  • No inverno devemos apostar por alimentos que nos dêem alta densidade energética (com alta densidade nutricional). Juntar frutos secos com fruta é uma boa solução. Deixemos as bolachas de parte e apostemos mais pela fruta e pelos frutos secos.
  • Não é por acaso que os nórdicos fazem a alimentação que fazem. É com sabedoria.

Não te esqueças que a ingestão de água é super importante dentro de uma alimentação saudável. Espero que estas dicas te tenham ajudado!

Leave a comment

error: O conteúdo está protegido.
Dora Matos - Health Coach