Skip to content Skip to sidebar Skip to footer

Gorduras: Porque são tão importantes para a nossa saúde?

As gorduras são vistas como “a má da fita”. E não é assim. Hoje a nutricinista desportiva, Joana Velez, explica-nos neste artigo, porque é que o consumo de gorduras é imprescindível para a nossa saúde.

Sabemos a importância das gorduras na nossa alimentação e sabemos distingui-las?

As gorduras são um macronutriente, tal como os hidratos de carbono e as proteínas. Apesar de muitas vezes serem olhadas com desconfiança, elas devem fazer parte do nosso dia alimentar. Porquê? Porque estas são de extrema importância para o organismo.

– São um dos principais fornecedores de energia, fornecendo 9kcal por cada grama

-São importantes para a formação das células

-Desempenham um papel importantíssimo no transporte e absorção de vitaminas lipossolúveis (A,D,E e K).

Gorduras “más” e gorduras “boas”: que são?

Existem diferentes tipos de gordura: as saturadas, as insaturadas (monoinsaturadas e polinsaturadas) e as trans. Na terminologia popular, as gorduras monoinsaturadas e polinsaturadas são o que a maioria das pessoas chama de gorduras saudáveis, e apresentam-se sob a forma líquida à temperatura ambiente.

As gorduras saturadas são as prejudiciais para a saúde, e em regra são gorduras sólidas à temperatura ambiente.


Estas, juntamente com as trans, estão associadas a efeitos negativos na saúde, incluindo doenças cardíacas. Duas gorduras polinsaturadas essenciais para o organismo são o ómega-3 e o ómega-6. Estas devem estar presentes numa alimentação saudável e equilibrada devido aos seus benefícios, como por exemplo: regulação da resposta inflamatória, estimulam o bom funcionamento cerebral e podem ser aliados na regulação dos níveis de colesterol.

Para concluir, para fazer boas escolhas é preciso diferenciar as gorduras saturadas das insaturadas e saber que as primeiras são as vilãs para a nossa saúde.


Que quantidades devem consumir os desportistas?

No que respeita à relação entre as gorduras e a prática desportiva devemos saber que o consumo deve estar compreendido entre 20 a 25% do valor energético total.

Numa refeição antes do treino devemos incluir os hidratos de carbono com o intuito de fornecer energia ao organismo. Nesta refeição devemos limitar o consumo de gordura uma vez que poderá originar desconfortos gastrointestinais, já que é necessário um maior período de tempo para que ocorra a digestão.

A refeição após o treino deve ser completa, devendo incluir hidratos de carbono, proteínas e gordura.


Deixa aqui o teu comentário

error: O conteúdo está protegido.
Dora Matos - Health Coach