Skip to content Skip to sidebar Skip to footer

Hanói: Um caos tranquilo (Vê tudo o que visitei num dia!)

Chegar à capital do Vietname foi muito especial e extremamente novo. É uma cidade caótica, onde vivem 8 milhões de habitantes e 6 milhões de motos. Isto resume o ambiente que se sente a toda a hora nesta cidade agitada e imperdível, onde o som das buzinas das motos é a banda sonora a todo o momento. Mas não pensem que as buzinas significam protesto ou reclamação para os outros conductores. Não. As buzinadas servem só para avisar de que eles estão ali (não vá ser que não se apercebam da sua presença e aconteça um acidente).


Curiosamente, no meio do caos do trânsito que há todos os dias, ninguém reclama com ninguém, ninguém stressa com ninguém… Algo que para o comum ocidental é incrívelmente estranho. No Vietname é como se não existissem as regras de trânsito, não se respeitam as sinalizações nem páram para deixar passar os peões, por isso, nem penses em atravessar a estrada a olhar para o telemóvel!

Muita buzinadela, mas muita calma…

Dito assim, até parece uma cidade arriscada para visitar, ou talvez “perigosa”, mas não. Afinal, não é tão perigoso como parece, considerando a multidão de motos. Essa tranquilidade, gentileza e calma do povo vietnamita foi algo que no meio de tudo me impressionou. Não só pela ansiedade que não existia no trânsito, mas pela atitude deles em geral: nas lojas, na rua…
Não é só na estrada que há movimento. Também nos passeios, onde os vietnamitas conversam todo o dia, sentados nos banquinhos pequenos com uma cerveja e a comer noodles, sempre com aquele ar de tranquilidade que também me fez desfrutar como uma criança desta capital tão movimentada, inevitavelmente.


Que visitei em Hanói em apenas 1 dia?
1. Templo da Literatura

No meio da confusão das ruas próximas à Old Quarter está o este templo que foi a primeira Universidade de Vietname, que data do ano 1076. Era exclusivamente para nobres ou príncipes do país. Mais tarde foi permitido o acesso aos melhores estudantes do país. É dos poucos templos que homenageiam o filósofo chinês Confucio. Os resquícios que ficam dos estudantes que por lá passaram são as estelas de pedra com os nomes e informações dos alunos que se destacaram a partir do ano 1442. Ainda hoje, os estudantes passam por este Templo para pedir sorte na época de sorte. Para pedir sorte passam a mão por cima da cabeça de uma tartaruga, que é símbolo de independêncis e longevidade.


As oferendas deixadas pelas pessoas nos templos são bem curiosas, porque variavam entre o fruto Mão de Buda (não para comer mas para dar como oferenda), cigarros, comida, dinheiro…





2. Catedral de St. Joseph’s

Este edifício foi uma das primeiras criações feitas pelos franceses quando estes se apoderaram do país no início do século XIX até a meados do século seguinte (ou seja durante mais de um século). É a igreja mais antiga de Hanoi.

3. Memorial de Ho Chi Minh

Um espaço que te reduz ao tamanho das formigas. Como, aliás, é característico dos sistemas comunistas. Os espaços de adoração ao líder são sempre super amplos e com templos enormes que te fazem sentir reduzido a um extremo impressionante. O Memorial de Ho chi Ming não é excepção. Foi e continua a ser o lider do Vietname, “O pai da revolução”, mesmo depois da sua morte em 1969. Ho Chi Ming foi um revolucionário e estadista vietnamita, figura emblemática neste país.

Embora desejasse ser cremado, ele foi embalsamado e seu corpo actualmente encontra-se aqui, neste local. Este monumento está cuidadosamente vigilado por seguranças que estão à frente e atrás do edifício impedindo qualquer movimento ou entrada inesperada. Para isso existem umas linhas amarelas que limitam a passagem dos mais curiosos.



4. Casa de Ho Chi Minh

Fica mesmo junto ao  Memorial, e é uma cabana de madeira (modesta, mas com um certo luxo), construída ao gosto de Ho Chi Minh, e junto ao lago. Depois de viver uns tempos no edifício construído pelos franceses nesse mesmo local (uma construção ostentosa e com tendências visivelmente europeias), Ho Chi Minh disse que não  gostava de tanto luxo, então mandou construir uma casa de madeira, rodeada de bosque, junto ao rio.

5. Visitar casco antigo en cyclo push

Nós fizemos e foi muito divertido! Além de termos estado a ponto de colidir com todos os veículos existentes na estrada, conhecemos o motorista que estava sempre a dizer: “Bum bum, mirá mirá, Vietname”. Imaginam o riso?
(Depois concluímos que aquilo que ele dizía era: massagens Vietname…)


6. Lago de Hoam Kieng, Ho Tay e Río vermelho

É um passeio imprescidível e super inspirador, tanto por ambos os lagos como passar de autocarro pelo río vermelho com 1149 quilómetros!

7. Templo Ngoc SON

O templo Ngoc Son  está situado num islote no meio do lago Hoan Kieng.  É um dos lugares mais pintorescos e tranquilos de Hanói. Este fascinante ponto histórico e religioso é conhecido pela sua beleza e pelos arredores (podes ter uma vista panorâmica do lago), além do seu interior, repleto de curiosos utensilios.

8. Teatro de Marionetas de água

Muito típico desta cidade, um teatro sem dúvida diferente do habitual, onde no palco há um lago onde se desenvolve toda uma história ambientada nas imedietudes do Rio de Hanoi, mesmo à saída deste teatro. Um espectáculo de 5o minutos que vale a pena.

9. Jantar no Quán ăn ngon!

Em pleno centro de Hanoi, um local com muito boa comida (fomos lá dois dias seguidos e provamos coisas diferentes), amplo, com bom atendimento, serviço super rápido e simpatia em todos os momentos. Falam inglês, o que torna a comunicação bem mais fácil e eficáz.
Ps. Só não fomos mais vezes porque não estávamos lá!

Deixa aqui o teu comentário

error: O conteúdo está protegido.
Dora Matos - Health Coach