Skip to content Skip to sidebar Skip to footer

Hidratos de carbono: um pesadelo ou um sonho?

Estão aí no limbo. De um lado são a nossa principal fonte de energia e por outro lado são os maus da fita, são os maquiavélicos que nos fazem ganhar peso e pneus. Mas não é bem assim. Os hidratos têm muito a dizer em sua própria defesa. E eu também.

Os hidratos de carbono são o que dá energia necessária ao nosso corpo para a actividade física e diária. Para quem não sabe, o hidrato de carbono consiste numa molécula de açúcar, na união de carbono, hidrogénio e oxigénio.

Há dois tipos de hidratos: os simples e os complexos (de absorção lenta)

Os primeiros absorvem-se rapidamente e são digeridos pelo organismo. Não saciam tanto porque fornecem as “calorias vazias” porque apresentam falta de vitaminas, minerais e fibras (por exemplo. o açúcar, os bolos e mesmo as bananas e o pão). Os segundos realizam o contrário e são os ideais para quem quer emagrecer sem passar fome (exemplos de alimentos: feijão, grão, quinoa, lentilhas, cereais integrais…). Este tipo de hidratos consiste em moléculas compostas por muitas unidades de açúcares simples, que para poderem ser absorvidas necessitam de ser degradadas noutras mais pequenas (glucose). Por ser um processo mais demorado (porque fornecem energia ao corpo durante mais tempo), chamam-se “hidratos de carbono de absorção lenta ou hidratos complexos”.

Atenção:

Quanto mais alto for o índice glicémico de um alimento, mais rapidamente vão subir os níveis de açúcar no sangue. Os hidratos de carbono complexos têm um índice glicémico mais baixo do que os hidratos simples, por isso a sua ingestão vai contribuir para controlar os níveis de açúcar no sangue e para que fiques saciado durante mais tempo.

https://doramatos.com/oh-dora-tu-comes-sempre-assim-fit/

“Vou deixar de comer hidratos para emagrecer”…

Ouço muito isto por aí.

O emagrecimento prende-se com uma questão de balanço energético o que significa que, para ocorrer, devemos gastar mais energia do que aquela que obtemos. O gasto energético depende de vários fatores, que diferem de pessoa para pessoa. E é neste momento que muitos perdem a esperança e a paciência e desistem cedo demais.

A restrição de hidratos de carbono é muitas vezes realizada sem acompanhamento profissional, com o objetivo de perder peso de forma rápida. De forma lógica, uma pessoa perde peso porque o organismo reconhece uma falência e trata de captar energia através das reservas existentes.

Se o organismo não tiver fontes de energia, entra em processo de “sobrevivência” e o metabolismo basal (calorias gastas em repouso) é diminuido, de forma a lidar com a carência existente. Aqui explico que acontece ao corpo se deixarmos de comer.

Com a diminuição do metabolismo, a perda de gordura não é tão eficaz e a alteração metabólica dificulta um processo de perda de peso no futuro. Por esse motivo, comprova-se que pessoas que já tenham tentado fazer várias dietas, têm mais dificuldade em ter resultados e perder peso, pela desordem metabólica que por vezes é provocada.

Por isso, que tal mantermos uma alimentação mais equilibrada, sem nos restringirmos de nada (drasticamente e sem o acompanhamento de um profissional)? É preciso entendermos o nosso corpo antes de tomarmos decisões que nos podem prejudicar de forma negativa.


Deixa aqui o teu comentário

error: O conteúdo está protegido.
Dora Matos - Health Coach