Skip to content Skip to sidebar Skip to footer

Perú, não foste amor à primeira vista

Foste um país que me surpreendeu do início ao fim, isso sim, mas nem sempre pelos melhores motivos.

A nível natural e paisagístico tens lugares de cortar a respiração e diferentes de tudo o que vi, como a Reserva Nacional de Paracas ou mesmo as altas dunas de Huacachina, que apesar de super fotogénicas, contêm mais lixo do que esperava.

Passei dias de verdadeira tranquilidade no Vale Sagrado pelas altas montanhas verdes e laranjas, pelos caminhos a pé e pela presença dos rios do que os incas tiraram imenso partido mesmo naquela época.

As ilhas Taquile e Amanantí, no lago Titicaca, foram uma agradável surpresa de final de viagem: por ver como são férteis e por ver como algo pode estar tão à parte do mundo… muitas das pessoas que ali vivem nunca saíram de ali e nem conhecem as principais cidades do seu próprio país!

Deserto de Paracas
Deserto de Huacachina
Na cidade de Arequipa
Ollantaytambo, Valle Sagrado

És um país de muito ricos e muito pobres, de muito luxo e muita pobreza ao mesmo tempo e por vezes no mesmo sítio. Diria que a nível paisagístico, és um país de contrastes e diversidade. E isso tem o seu lado bom e o seu lado mau: porque estás num sítio onde aparentemente as pessoas não têm muita qualidade de vida, e de repente vês um Yacht Club e um hotel de 5 estrelas.

Ou por exemplo, depois de veres um povo bem humilde e andares 500 metros vês como no meio de um deserto se utiliza a água para regar os jardins dos senhores ricos e por outro lado, num hostel localizado na mesma cidade, falta a água. Eu vi isso (aconteceu no meu hotel). É um nível de contrastes exagerado e a todos os níveis.

Algures perto de Huacachina

Este contraste é tão presente que define tanto a sua flora, como fauna, paisagem, costumes, e as suas pessoas…

Ilhas Ballestas, em Paracas
Ollantaytambo, Valle Sagrado, Cusco

Deixa aqui o teu comentário

error: O conteúdo está protegido.
Dora Matos - Health Coach