Skip to content Skip to sidebar Skip to footer

Tudo o que tens de fazer se fores ao sul de Espanha (opinião de auto-caravanista)!

A nossa viagem durou um mês e foi desde Porto Covo até ao final de Cabo de Gata, em Almería. Este último vídeo mostra alguns dos sítios por onde passámos durante este mês, onde conhecemos toda a costa de Andaluzia. Se quiserem ir anotando, eu vou recordando por escrito as coisas que mais gostei e que aconselho que façam quando visitarem o sul de Espanha.

QUE MAIS GOSTEI?

Vamos de Oeste para Este para que vocês entendam a rota e se organizem. Agarrem no bloco de notas.
A única coisa que me despertou mais a atenção na província de Huelva foi Punta Umbría, a praia de El Rompido. Confesso que não gostei demasiado da parte que faz fronteira com Portugal (Isla Cristina). Gostei muito da zona de Cádis, principalmente das praias. Também gostei bastante da comida andaluza, em geral. E eu, que sou toda uma fã de tapas, estava nas minhas sete quintas.
De Huelva para Cádis vais passar por um dos Parques Nacionais mais importantes do país, que é o Parque de Doñana, que não tem acesso de carro. Portanto, nós tivemos de rodear todo o Parque pela estrada A-49 que vai até Sevilha e dá ligação a Sanlucar de Barrameda, que foi a nossa seguinte paragem, já na província de Cádis.
IMG_5338

El Rompido, Huelva

PARA VER NA PROVÍNCIA DE CÁDIS:

Chipiona – Gostei muito do ambiente, da vila, da praia e da comida. É onde está o farol mais alto da Europa. Vale a pena ver.
IMG_5392

ChipionaIMG_7018

Chipiona

Cidade de Cádiz – Vale a pena visitar a cidade de bicicleta. A cidade é muito curiosa por causa das suas estreitas ruas e pelos altos edifícios já com certa influência árabe. Aproveitámos para percorrer toda a cidade de bicicleta e dar um passeio até ao Castelo de San Sebastián, pelo Paseo Fernando Quiñones. Esse passeio foi das coisas que mais gostei.

IMG_5430

Paseo Fernando Quiñones, Cádis

Conil de La Frontera– Adorámos a praia porque era a única que naquela zona tinha menos gente e onde encontrámos um lugar genial para a carrinha. Estivemos ali uns 3 dias, onde apanhamos uma ventaneira louca (55 nós). Imaginam a loucura a dormir no topo de uma carrinha com 3 metros de altura? Foi uma noite muuuito movida!
Caños de Meca – Talvez das minhas zonas favoritas de Cádis. Tens que visitar o Farol de Trafalgar, que não tenho fotografias porque tanto o telemóvel como a câmara ficaram sem bateria. Nós fomos de bicicleta desde o parque de campismo para ver o farol, mas fazia tanto vento mas tanto vento que a areia da praia tapou por completo a estrada que dava acesso ao farol. Conclusão: andámos tanto de bicicleta como a pé. Mas gostei muito do farol, do ambiente e da zona. Ps. Recomendo vivamente o parque de campismo Caños de Meca (chama-se mesmo assim).
IMG_5720[1]

Caños de Meca, Cádis

Barbate,  Zahara de los Atunes e Bolonia– Aldeias muito bonitas, onde se vive um ambiente já de estilo marroquino (gostei sobretudo das duas últimas). A maioria das rádios são árabes, poucas se ouvem em espanhol. Ao aproximarmo-nos da costa africana (quanto mais ao sul formos), vamos aperceber-nos da influência de Marrocos em Espanha. As praias estão bem controladas pela policia (houve várias situações que não pudemos deixar a caravana perto da praia à noite, e por isso tivemos de escolher sítios mais reservados e afastados da zona da costa para dormir).
Fizemos uma escapadinha para visitar um dos Pueblos Blancos, que fica no interior de Cádis e que se chama El Bosque, onde fizemos um trilho de 7km a pé. Gostámos muito porque achámos que era muito autêntico, e aqui sim, encontrámos uma zona de auto-abastecimento para auto-caravanas!
IMG_5477

El Bosque, Cádis

Ah! Nestas zonas aproveita para provar o atum vermelho, uma verdadeira delícia!
IMG_6105

Atúm Vermelho, que provámos em Tarifa

Tarifa – !!! Gostei tanto!!!  Se bem que no verão deve ser uma cidade bem turística! Vive-se um ambiente totalmente windsurfer (se é que isto existe!). De certeza que se tiveres um espírito radical vais ter vontade de aprender windsurf, kitesurf, e todo o tipo de desportos de água. Quanto a Tarifa Cidade, adorei o espírito jovem, o ambiente e a própria cidade. Totalmente recomendável!

Estreito de Gibraltar- Vale muito a pena ver. Impressionou-me muito a proximidade com Marrocos (sempre pensei que estivesse mais longe!)

P1050068 - copia

Estreito de Gibraltar

Depois chega a parte da costa de Málaga. Sou-vos sincera. Não parámos aqui, porque não vale a pena (para nós, claro, que fugiamos das cidades e da confusão). E também não gostamos muito deste tipo de costa massificada. Só parámos para ver um amigo e seguimos para Almería. E do que mais gostámos? De Cabo de Gata, sem dúvida.
IMG_6171

Praia de Maro, Málaga

IMG_6400

Água Amarga, Almería

Cabo de Gata é outro dos Parques Naturais de Espanha onde se vê natureza a 100%, praias de cortar a respiração e foi onde, finalmente, sentimos alguma liberdade para estacionar a carrinha sem estar tão preocupados. Percorremos toda a costa de Cabo de Gata, desde San Miguel, La Almadraba de Monteleva, San José, La Isleta del Moro (super recomendável para comer!), praia das Negras, Água Amarga, Playa de los Muertos (porque parece que o mar trazia os mortos áquela praia), Carboneras, Vera (esta aldeia é muito curiosa porque há zonas onde se pratica nudismo dentro da própria aldeia, não só na praia). Tens de ver o Cabo de Gata, não te esqueças. Esta praia em baixo chama-se Cala Rajá, com um entorno sufocante, e a água do mar…!!!!
IMG_6498

Cala Rajá

Um aspecto curioso: quando estivemos na aldeia Las Negras fomos visitar uma Cala que é conhecida por ser dos Hippies, e que se chama Cala San Pedro:
IMG_6359 (1)

Cala de San Pedro, Almería

A esta praia só tens acesso de barco ou a pé (tendo em conta que tens de andar 5 km para ir e mais 5km para voltar). Ah, não precisas de levar bikini, porque a praia é nudista 😛
IMG_6180
Depois, já a entrar em Murcia, passámos por Águilas, Calabardina, Los Curas, Puntas de Calnegre, Bolnuevo, La Azohía.
 

UMA COISA IMPRESSIONANTE:

Podes visitar toda a Andaluzia sem pagar 1 cêntimo de auto-estradas, coisa que em Portugal é quase impossível de fazer.

UM DOS MAIORES PROBLEMAS QUE TIVEMOS?

Encontrar zonas habilitadas para estacionar a auto-caravana. Definitivamente o sul de Espanha não é o lugar mais apropriado para fazer uma viagem com este tipo de veículo. Não estão preparados em termos de infra-estruturas para receber caravanas (encontrámos dois parques de caravanas em toda a costa sul de Espanha). De todas as formas, não tivemos problemas por estacionar a caravana nos sítios onde a estacionámos e só parámos em 3 parques de campismo ao longo de toda a viagem – que necessitamos -sobretudo – para lavar a roupa.
Valeu muito a pena conhecer o sul de Espanha. Do que mais gostei? Da zona de Cádis e Almería! 😉

Deixa aqui o teu comentário

error: O conteúdo está protegido.
Dora Matos - Health Coach