Skip to content Skip to sidebar Skip to footer

Ubud, centro espiritual de arte e cultura (6 sítios que vale a pena ver)

Ubud é daqueles sítios que parece que te ilumina assim que chegas. Não sei se é pelas boas vibes daquele sítio, mas o que é certo, é que foi dos sítios que mais gostei de Bali. Foi a primeira paragem depois de Kuta, e que grande mudança!! Ubud é a grata surpresa que fica mesmo no centro da ilha de Bali, já para não falar da simpatia das pessoas. Localizada entre plantações de arroz e vilas agrícolas, Ubud é considerada um dos maiores centros de arte e cultura de Bali. A Ubud Monkey Forest, o Templo de Ulun Danu Beratan, a Nungnung Waterfall,  o Tegallalang Rice Terrace ou apreciar o pôr do sol em Tanah Lot são apenas alguns sítios que valem muito a pena visitar.

“The Sacred Monkey Forest Sancturay”

“The Sacred Monkey Forest Sancturay”

Mesmo no centro de Ubud é possível encontrar a Floresta sagrada dos macacos. Atenção! Não tem nada a ver com jardim zoológico. Os macacos aqui estão em total libertade, numa enorme área de mata preservada na área de Pandagtegal em Ubud. O lugar é cheio de enormes árvores, vales, riachos, pontes e templos hindus, religião predominante em Bali.
O macaco é um dos vários animais sagrados da religião predominante na ilha de Bali: o Hinduísmo. Essa é uma das razões pelas que Bali é tão especial em relação ao resto da Indonésia. No resto do país predomina a religião muçulmana e só em Bali predomina em maior parte a religião hindu.
Há certos cuidados a ter antes de entrar nesta floresta: não levar objectos que eles possam roubar como bonés, atenção aos telemóveis… É comum eles quererem roubar esse tipo de materiais.

Tegallalang Rice Terrace

É preciso sair um bocadinho da cidade de Ubud para podermos observar os belos campos de arroz com altas palmeiras e caminhos labirínticos que parecem desenhados à mão. Tegallalang é um dos campos de arroz mais conhecidos de Ubud e que eu recomendo, sem dúvida. O arroz, além de ser a base da alimentação balinesa, é um hidrato que faz parte da cultura local. O cultivo é feito de acordo rituais milenares, ligados à religião e à filosofia local.O sistema de plantio e irrigação é conhecido como subak. O solo é recortado em camadas ou terraços (rice terrace), para que a água fique acumulada em determinados pontos, mas também flua naturalmente do topo da colina até a área mais baixa. É uma paisagem que vale a pena ver ao vivo ?

Tegallalang Rice Terrace

Templo de Ulun Danu Beratan

É um dos principais templos xivaítas de Bali. O xivaísmo é o culto organizado do deus indiano Xiva que é reverenciado pelos seus seguidores como o Ser Supremo, que é tudo e que está em tudo, o criador, preservador, destruidor e revelador de tudo o que existe. O xivaísmo é uma das principais formas de hinduísmo moderno.
Foi construído em 1633 e nele é venerada a deusa da água, dos rios e dos lagos Dewi Danu. É por isso um dos chamados “templos da água”, associados ao sistema de irrigação tradicional balinês subak. Devido à importância do lago Bratan como principal fonte da irrigação do centro do Bali, nele são realizadas cerimónias onde são feitas oferendas.

Templo de Ulun Danu Beratan

Nungnung Waterfall

Bem, preparem-se para descer escadas até chegar a esta maravilha da natureza: 500 escadas. Bem, diria mais, preparem-se para subir. Eu, como interiorizei que seria o meu treino matinal… Nem me preocupei tanto. Confesso que até gostei porque para mim é um prazer imenso misturar turismo com desporto.

Nungnung Waterfall

Tanah Lot

Este é daquele sítios bem bonitos onde podes ir dar um passeio ao final da tarde e sentar-te numa esplanada a ver o pôr-do-sol com um sumo ou refresco. Tanah Lot é um dos mais importantes templos de Bali, de formação rochosa. Um antigo santuário hindu que é famoso pela sua localização e pôr do sol incrível.

Neste local fui abençoada com água sagrada e bagos de arroz na testa. Esta água, que eles dizem ser “sagrada” brota da terra sendo doce, coisa que não se entende e por isso, “é sagrada”.

Restaurante Vegan “Bali Buda”

E, como é óbvio, não podia deixar de fora uma sugestão gastronómica. O Bali Buda é daqueles sítios que podes entrar lá para tomar um pequeno-almoço em jeito de açaí bowl e jantar uma salada acompanhada com um delicioso sumo de fruta fresca. As opções são muito variadas, e de todas as que experimentei, aprovo!
Além disso é um local muito aconchegante que te faz sentir em casa.

Deixa aqui o teu comentário

error: O conteúdo está protegido.
Dora Matos - Health Coach